segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Acredite: você come porque sua mãe disse "como".

Hoje estou almoçando um carreteiro excelente feito pela minha mãe no domingo. Além do carreteiro, veio de brinde umas bardanas refogadinhas.

Amo bardana. Mas nem sei direito o que é. Como desde pequeninha, e antes do google não sabia que era uma raiz muito "milagrosa".

Sentada, saboreando as iguarias de mamãe  me veio o seguinte pensamento: todos temos nosso paladar moldado por nossas mães. Fato incontestável. Afinal, o que me leva a gostar de uma coisa que nem sei de onde vem? Minha mãe. Foi ela que preparou a primeira vez, me fez experimentar e gostar.

O pensamento seguinte foi que comprova-se mais uma de minhas "teorias da maternidade" frases como "meu filho só toma refri, não gosta de água" não fazem o menor sentido, são mentirinhas que nós mães contamos pra nós mesmas. Corrigindo com sinceridade: "Eu não tomo água, prefiro refri, então ele/a não toma também.". No mínimo justo.

Chato eu dizer aqui que educamos pelo exemplo? Sim, mas pura verdade. Não se engane, tu não vai ter um filho "comedor de saladas" se tu mesmo só belisca uns tomates (e com bastante sal, pra "disfarçar o gosto"). Aproveite a maternidade e mude uns hábitos, ou assuma de vez a vibe junk food da família e não reclame se estiver mais gordinha, cansando pra subir 3 degraus e com um filhote rechonchudo demais fazendo dieta aos 10 anos.

A vida é feita de escolhas, mamãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Já achei que....