quinta-feira, 14 de junho de 2018

Sobre o que eu NÃO quero

Aproveitando o clima de dia dos namorados eu quero falar de amor....

Faz algum tempo que estou solteira e ultimamente parece que esse fato tem incomodado algumas pessoas.

Eu no caso, nem tô.

Mas como quase tudo na minha vida vira reflexão, parei pra pensar em por quê as pessoas querem tanto me arranjar um par e se preocupam em buscar razões para minha solteirice.

Maior parte traz uma visão de que eu sou tão legal que mereço uma boa companhia.
O que esquecem no caso é que boa companhia pode ser eu mesma.
Mas tá, eu sou bem legal mesmo e entendo o ponto de vista. Fico até feliz por que a pessoa de um jeito meio torto tem carinho por mim....

Talvez o que maioria não saiba é que já sei o que não quero, e isso é libertador, e ao mesmo tempo complicador.

Cheguei numa etapa da vida em que sei muito bem as coisas que não quero pra minha vida, pois sei que esses "pormenores" roubarão minha paz. Paz essa conquistada com muito choro e riso, e portanto, um bem muito precioso.

Pensando em tudo isso, comecei a anotar as coisas que me tiram a paz e o tesão. (o tesão principalmente...)

Depois de alguns rascunhos, organizei os pensamentos em lista (mania já...) que aqui chamaremos de lista do Não Quero!

Primeira questão que se coloca: e por que não listar o que eu quero???

Pelo simples fato de que eu quero muitas coisas e tem coisas que nem sei se quero por que não experimentei.

A verdade é que estou aberta para ser surpreendida e arrebatada, mas esse arrebatamento não vem.... e por que não vem??

Deu pra perceber que pensei horrores sobre o tema né? Kkkkk

Nesse mar de porquês, comecei a pensar nas coisas que me brocham instantaneamente e impedem o arrebatamento.

Muitos me encantaram nessa última temporada, mas o balde de água fria tem sido muito gelado. Falta o arrebatamento. Condição fundamental para compartilhar uma vida com alguém.

Então vamos passar a limpo a listinha que ficou no bloco de notas do celular por uns dois meses!!

O que eu NÃO quero de um potencial parceiro.

1 - Não quero ser silenciada.
É uma violência muito comum e só aqui fico com ZERO crushs na conta. Não conheço nenhum homem capaz de me ouvir contar alguma coisa, das mais banais descrições do cotidiano aos relatos de livros fodas que tenho lido, sem que eu seja interrompida com frases tipo "mas eu fiz...", "e eu que....". Ou que após ouvir """atentamente""" o que eu disse sejam capazes de repetir uma única frase dita (nem vou exigir que compreendam...).
A realidade é que hoje, só consigo manter algum contatinho e fazer sexo por que abstraio e me finjo de louca. Deixo pra ter conversas boas e alegres com amigas e amigos.

Preciso continuar?? Kkkkk
Tá, mas vou.

2 - Não quero alguém que admire apenas minha bunda.
Tenho uma bunda linda, é fato. Na real tenho um corpo confortável e lindo. Sei disso, estou muito bem instalada aqui dentro e até que é bom ouvir isso. Mas se não for capaz de admirar minha mente brilhante e a minha companhia nem vem.

3 - Não quero participar de joguinhos de desinteresse. 
Definitivamente não tenho o mínimo saco para quem disfarça interesse. Principalmente por que esse esforço em disfarçar um desejo e/ou sentimento revela o óbvio: covardia. Não tenho tempo pra covardia. Se tá curtindo minha companhia vamos sair e se divertir. Vamos se beijar, tomar cerveja e fazer sexo. Fazemos isso hoje e amanhã se tivermos vontade. Se no domingo a vontade desaparecer a gente não faz e pronto. Fazer joguinho de desinteresse com a desculpa esfarrapada de que "não quero me envolver" é de um narcisismo irritante. Quem te disse que a pessoa do outro lado quer casar contigo?
Em resumo: falso desinteresse e covardia me brocham.

4 - Não quero estar sozinha num relacionamento. 
Não preciso de um companheiro no sentido utilitarista do termo. Preciso de boa companhia, alguém pra dividir umas loucuras e a conta do bar. Vejo manas enfiadas em relacionamentos só pra alterar o status no Facebook, sem que aquele relacionamento reverta em bem estar, orgasmos e sorrisos. E isso não quero de jeito nenhum. Pego minha solteirice e vou embora!

5 - Não quero os pioneiros. 
Nem sei como descrever esse ponto. É o que mais me irrita e brocha. Muito. Sério. Aaaarrrggggghhh

É assim: tudo que a pessoa faz ela foi a primeira, seja em Porto Alegre ou no rolê, e as vezes no mundo t-o-d-o. Conheci nesses dois anos os pioneiros em todas as coisas possíveis: o primeiro a usar dread, o primeiro a ouvir trap, o primeiro a ouvir determinada banda de pagode (antes de serem famosos, obviamente), o primeiro a usar calça rasgada, o primeiro a jogar tal esporte, o primeiro a não achar a ex uma louca (sim teve esse), o primeiro a usar boné aba reta, o primeiro a jogar poker/futebol americano/handebol/basquete, o primeiro a postar vídeos no YouTube, e etc....
Muitos desses pioneiros são tão pioneiros que lançaram moda antes mesmo de nascer!
Ouvi de um guri de 20 e poucos anos que antes dele ninguém ouvia samba rock em POA e fui obrigada a perguntar: PORRA! Até o Bedeu te copiou?? E ele: "Provavelmente". (faltou espaço nas minhas órbitas oculares pros meus olhos virarem...)

TEM DÓ!!! Será que dói ser apenas uma pessoa que admira tal coisa sem que aquilo seja "louvável"???

Já deu pra perceber que pra mim tá difícil lidar com macho quer biscoito, né?
Tu tem um ótimo gosto musical? Me mostra as tuas músicas prediletas, me chama pra dançar o teu melhor balanço.
Tu é ótimo no teu esporte? Me chama pra te assistir jogar, me fala sobre as estatísticas e regras.
Mostre não faça propaganda narcisista. Posso te admirar pelo que tu faz, pelo que tu gosta, mas nunca pelo o """pioneirismo""".

6 - Não quero os discretos. 
Já fui escondida por muito macho na vida pra abrir mão de beijo na boca e mão na cintura em público. Gosto de carinho e não preciso me esconder: sou uma mulher solteira. Posso sair hoje com um e amanhã com outro. E se decidir fazer isso é por que quero e me dedico igual. Já disse que fazer joguinho não é comigo né?
Então se não for pra me beijar e tocar sempre que der vontade, seja em casa ou no trem, nem vem.
E também se não tem vontade, nem vem.
Sabe o beije a sua preta em praça pública?? Sou adepta.

7 - Não quero casar.
Por incrível que pareça o mundo masculino é tão egocêntrico que se tu demonstra interesse eles correm por que tu tá querendo "prender", mas se tu deixa bem nítido no início que não tem essa pretensão de vida a mágoa pode ser notada no olhar "Como assim tu não me ama loucamente e não precisa de mim?"
Eu não estou procurando um casamento, o que não significa que estou fechada a essa possibilidade.
Fico irritada com a incapacidade de muitos machos de entender essa diferença. Minha meta de vida não é casar,  isso não significa que eu não possa casar ou amar alguém.

8 - Não quero os palmiteiros.
Homens negros que em pleno 2018 acham que só pegam mulher branca "por gosto" não merecem meu sorriso negro. Sério.
O que mais passa pela minha mão são pretos que namoram mulheres brancas, são tratados como boy-toys e reclamam das pretas. Cansei.
Aturam sogras racistas, piadinhas dos amigos das namoradas e sofrem calados em nome de uma masculinidade tóxica e racista. São os "nigga de estimação" das festinhas da CB e acham que tão arrasando.
Tô fora. Pego meu Fanon e vou embora.

9 - Não quero ser "mulata ostentação" de omi branco. 
Se não quero os palmiteiro, dos brancos desconstruídos namastê gratidão amiguinhos dos nigga quero distância náutica!
Já passei por alguns brancos na vida e ser hipersexualizada e transformada em bibelô não tá mais nos meus planos. Um homem que não entende o que é ser negrx nesse país e acha que o Sargenteli é herói não me pega mais. Nem pra dar as horas.

10 - Por último mas não menos importante: se você que se entende como um crush meu, ler tudo isso e achar qualquer um desses itens listados aqui, um exagero, coisa de feminista, coisa de louca, ou ao ler estas linhas em algum momento pensou "assim ela nunca vai conseguir ninguém" me exclui do Whats.

Bjs de luz!!!

2 comentários:

Já achei que....